18 de setembro de 2018
Descubra quanto de Mata Atlântica existe em você!

Vereadores cassam Betão e salvam Cabrini e Vanderlei Cabeleireiro

(Foto: Emerson Santos)

Nesta quarta-feira (15) aconteceu na Câmara Municipal de Araucária a sessão especial que julgou o processo de cassação do mandato dos vereadores Roberto Mota, Francisco Cabrini e Vanderlei Cabeleireiro. Por 6 votos a 4 os vereadores Cabrini e Vanderlei tiveram o processo arquivado. Já com 7 votos a 3 o vereador Betão teve seu mandato cassado.

Sessão

A sessão iniciou às 9h da manhã, com a presença de todos os vereadores da atual legislatura, da Guarda Municipal e da Polícia Militar. O primeiro a ser julgado foi o vereador Francisco Cabrini. Após a fala do relator vereador Leandro Andrade defendendo seu relatório que indicava a condenação do vereador, seguido dos advogados de Cabrini em sua defesa. Em seguida, o presidente da Câmara, Ben Hur, colocou em votação se a votação seria aberta ou secreta e se os votos para a cassação seriam considerados dois terços ou maioria absoluta. Por unanimidade ganhou a votação aberta e com maioria absoluta.

Cabrini

Iniciada a votação do vereador Francisco Cabrini, os vereadores Leandro, Aparecido, Fabio Pedroso e Amanda votaram pela cassação. Já os vereadores Tatiana, Nicácio, Claudio, Fabio Alceu, Lucia e Ben Hur votaram pelo arquivamento do processo de cassação. Apenas o vereador Alexandre se absteve por ser o principal interessado no processo, por isso o regimento veda sua participação na votação. Por 6 votos a 4 Cabrini teve seu processo arquivado sobre protestos de algumas pessoas presentes.

Agito

Antes de iniciar a votação do Vanderlei Cabeleireiro, a sessão foi suspensa por 1h pelo presidente Ben Hur pois alguns dos presentes no auditório lançaram palavras de ordem contra os vereadores que votaram pelo arquivamento. Um deles foi retirado pela GM e PM pois estava atrapalhando os trabalhos da sessão.

Vanderlei

No início da tarde foi a vez do vereador Vanderlei Cabeleireiro. Seguindo o mesmo rito da manhã, foi lido o relatório do relator vereador Leandro, seguindo a defesa do advogado e votação. Repetindo a votação do Cabrini, por 6 a 4, o vereador Vanderlei teve seu processo arquivado. Os vereadores Leandro, Xandão, Fabio Pedroso e Amanda votaram pela cassação. Já os vereadores Tatiana, Nicácio, Claudio, Fabio Alceu, Lucia e Ben Hur votaram pelo arquivamento do processo de cassação. Desta vez Aparecido é quem se absteve.

Betão

Após a sessão ser suspensa por mais 1 hora, foi a vez do vereador Roberto Mota ter seu processo disciplinar julgado pelos edis. Seguindo o trâmite legal, o relator falou, em seguida a defesa do vereador e por final a votação. A surpresa, para os que davam o arquivamento como certo, foi que a maioria (7×3) votou pela cassação do Betão. Pela cassação votaram os vereadores Leandro, Xandão, Claudio, Fabio Alceu, Aparecido, Amanda e Ben Hur, enquanto os vereadores Nicácio, Tatiana e Lucia votaram pelo arquivamento, com a abstenção do vereador Fabio Pedroso.

O argumento da maioria dos edis é de que, diferente dos outros vereadores, o Betão tem um vídeo em que mostra ele recebendo dinheiro do ex-secretário de Olizandro, Tadeu Saliba, e que isso maculou a imagem da Câmara sendo prova cabal para sua condenação no processo disciplinar.

A defesa do vereador Roberto Mota pretende recorrer da cassação na justiça. O mesmo deve acontecer com relação ao arquivamento do processo de cassação dos vereadores Francisco Cabrini e Vanderlei Cabeleireiro pelas lideranças que inciaram o processo de cassação.

Operação Sinecuras

Os três vereadores juntamente com seis ex-vereadores e dois ex-prefeitos são suspeitos de participar de um esquema de compra de apoio na Câmara para aprovar projetos de interesse de empresas da região. Os vereadores estão afastados da Câmara desde abril deste ano, sem receber salário. Eles chegaram a ser presos e hoje respondem às acusações com tornozeleira eletrônica.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta